madeira

A ideia deste trabalho é o aproveitamento e peças de madeiras de reciclagem, aliados à serragem e materiais que a natureza nos oferece com tanta generosidade !!!!

Seguidores

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Marcador de livros Saci no Opa's Haus


        SACI PERERÊ  -  o duende brasileiro


SACI, o duende brasileiro criado do imaginário das três raças que colonizaram o Brasil : o branco , o negro e o índio !
Tem sua origem presumida entre os indígenas da Região das Missões Jesuíticas, no Sul do País , de onde teria se espalhado por todo o território brasileiro.


marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página

marcador de página



Ruínas  de São Miguel Arcanjo- sítio arqueológico - estado do Rio Grande do Sul
local onde provavelmente surgiu a lenda do saci pererê criada pelo povo indígena  Guarani.









O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca.
Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico.
Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo, e ganhou da mitologia europeia um gorrinho vermelho.
A principal característica do saci é a travessura, ele é muito brincalhão, diverte-se com os animais e com as pessoas. Por ser  muito moleque ele acaba causando transtornos, como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc.
Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.
Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.
Diz também a lenda que os Sacis nascem em brotos de bambus, onde vivem sete anos e, após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau.